QS 01, Rua 210 lote 18, Águas Claras - DF, CEP: 72030-120

+55 (61) 3563-1314

 
Cardápio e Tecnologia são Inovações Devem Salvar Pequenas Padarias

Cardápio e Tecnologia são Inovações Devem Salvar Pequenas Padarias

As pequenas e médias padarias devem sair do trivial pão e café com leite para aumentar a capacidade de concorrência. As panificadoras precisam ampliar o cardápio com alimentos saudáveis e usar a criatividade para novas ofertas de refeição que não exijam investimentos financeiros.
O setor também sofre com outros desafios: no último ano, o fluxo de clientes das padarias caiu 3,4%. O crescimento do número de canais de venda de food truck e diversos fast-food tem mudado o comportamento de consumo dos clientes.

Inovação

O consumidor quer se alimentar com produtos saudáveis e os empresários precisarão criar alternativas para essa demanda. Investir em produtos premium também pode ser uma alternativa para padarias amenizarem a redução de consumo.

"A procura por produtos mais saudáveis é cada vez maior. Investimos em pães e doces sem glúten e sem açúcar, sucos detox (antioxidaantes), produtos orgânicos e sem colesterol ", explica o fundador e proprietário Milton Guedes de Oliveira.

A padaria ainda oferece um bufê completo com café da manhã, almoço, chá da tarde e sopas, à noite (com seis tipos de sopas). Doces, frios, sanduíches, frutas da épocas e chás importados também incrementam o cardápio.

Tecnologia

Para minimizar os gastos com o aumento de energia, o diretor da padaria, Henrique Afonso Junior, investiu em tecnologia. "Transformei alguns equipamentos elétricos em gás natural". "No entanto, isso nem sempre é uma operação viável para todos comerciantes, em virtude de condições e termos técnicos", esclarece ele.

O executivo, no entanto, acabou convencido pela planilha de resultados. "Nosso processo de automação já começou há alguns anos, com máquinas para fazer salgados e persistimos nesse caminho" Para 2015 a expectativa da empresa é crescermos em torno de 8% a 10%.

Segundo Afonso Junior os investimentos feitos nos últimos anos deixaram a operação menos dependente dos produtos derivados do trigo.

Impacto do dólar

O presidente do Sindicato da Indústria de Panificação e Confeitaria de Santo André (Sipan), Antônio Carlos, também nãovê como o setor de panificação poderá não repassar os custos e mudar esse cenário. "Nós não temos muita opção para combater estes fatores [aumento dos gastos com energia e trigo]. Resta cortar custos, melhorar a produção e reinventar o setor."

Fipan

Para os empresários do setor de panificação que pretendem, de alguma maneira, investir em novas tecnologias e acompanhar as tendência do setor, a Feira Internacional de Panificação Confeitaria e Varejo Independente de Alimentos (Fipan) é uma boa oportunidade de conhecer alternativas.

O evento acontece de 14 a 17 de julho e, de acordo com o diretor da Seven - empresa responsável pela organização do evento, que pertence à associação dos panificadores de São Paulo -, João Ricardo Neves, conhecer as novas tendência e opções de máquinas mais econômicas que reduzem o consumo de energia em torno de 30% a 40% pode ajudar bastante a operação das pequenas e médias.

http://www.abras.com.br/clipping.php?area=13&clipping=50023 

 

QS 01, Rua 210 lote 18, Águas Claras - DF, CEP: 71950-770

+55 (61) 3563-1314 / (61) 3563-4776 / (61) 3562-2064

Facebook
Realizado por Amplitude Web.