QS 01, Rua 210 lote 18, Águas Claras - DF, CEP: 72030-120

+55 (61) 3563-1314

 
Lei obriga que os alimentos modificados geneticamente tenham a informação

Lei obriga que os alimentos modificados geneticamente tenham a informação

Saber as calorias de determinado alimento, se ele contém ou não açúcar ou quais ingredientes foram usados no preparo de uma comida é direito do consumidor. Seja para ficar informado, seja por uma questão de saúde. Assim também funciona com os alimentos geneticamente modificados, conhecidos como transgênicos. A partir do momento em que são incorporados a uma fórmula alimentícia, devem, de acordo com a legislação, ser identificados. O símbolo é um “T”, de cor preta, sobre um fundo amarelo em formato de triângulo, e deveria constar em qualquer produto com mais de 1% de origem transgênica. No entanto, ainda hoje empresas ignoram a orientação. E o consumidor acaba levando para a mesa, sem saber, alimentos transgênicos.

A cada dia que passa está mais difícil achar um produto ou comida que não tenha um alimento geneticamente modificado. De acordo com especialistas na área, praticamente 100% do milho e da soja produzidos hoje no Brasil são transgênicos. E cada artigo que leva um desses dois alimentos também deve conter o selo de identificação: óleo de soja, biscoito, papinha de bebê, salgadinhos, milho para pipoca e até comida de cachorro. Tudo contém alimento transgênico, mas nem todas as marcas rotulam.

A rotulagem é assegurada pela Lei nº 4.680/2003, que regulamenta o direito à informação (veja arte). Na Câmara dos Deputados, um projeto polêmico nessa área aguarda votação.  Para o consumidor, o melhor ainda é poder escolher. Se o alimento estiver rotulado, ele poderá optar por levar o transgênico ou não. 

 

QS 01, Rua 210 lote 18, Águas Claras - DF, CEP: 71950-770

+55 (61) 3563-1314 / (61) 3563-4776 / (61) 3562-2064

Facebook
Realizado por Amplitude Web.