QS 01, Rua 210 lote 18, Águas Claras - DF, CEP: 72030-120

+55 (61) 3563-1314

 
LIMPEZA TOTAL

LIMPEZA TOTAL

    A ANVISA - Agência Nacional de Vigilância Sanitária, proíbe a venda do álcool líquido e orienta quanto às práticas mais seguras de higienização de ambientes

      A ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária – determinou que a partir de 1º de Fevereiro de 2013 iniciou-se a Resolução RDC 42/2002, que proíbe a venda do álcool na forma liquida. A medida que proíbe a fabricação e a comercialização do álcool líquido no país tem o objetivo de reduzir o número de casos de queimaduras e ingestão acidental, especialmente em crianças.
Nesta edição vamos esclarecer qual é o papel da ANVISA neste setor e quais as opções para sanitização dos ambientes, utensílios e bancadas com essa nova determinação.

      Todos os produtos usados na limpeza e conservação de ambientes (casas, escritórios, lojas, hospitais) são considerados saneantes. Os saneantes são importantes na limpeza de nossas casas e de outros locais, pois acabam com as sujeiras, germes e bactérias, evitando assim o aparecimento de doenças causadas pela falta de limpeza dos ambientes.
      A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é o órgão do Ministério da Saúde que faz as regras para fabricação e comércio de saneantes e fiscaliza se as empresas estão obedecendo estas regras. Todos os fabricantes são obrigados a seguir normas legais e técnicas e obter autorização do Ministério da Saúde para cada produto saneante colocado à venda.

Proibição da Venda de Álcool Líquido

         A proibição da comercialização do álcool começou em 2002, após uma resolução da Anvisa, que foi suspensa por decisão judicial a favor do setor industrial realizado pela Associação Brasileira dos Produtores e Envasadores de Álcool (Abraspea).
Em agosto de 2012, a Justiça Federal derrubou a decisão e agora não há mais possibilidade de recurso, com a queda da liminar, o prazo para as indústrias se adequarem às novas exigências foi o dia 31 de janeiro passado.
        Sendo assim, a partir de 1º fevereiro, todo estoque irregular no mercado deveria ser recolhido, caso o consumidor encontre álcool líquido disponível para venda, a Vigilância Sanitária Municipal deve ser comunicada e o produto será apreendido. As empresas que não se adequarem à norma serão notificadas por irregularidade e, por consequência, sofrerão o cancelamento dos registros.
        Considerado de extrema importância no processo de higienização, o álcool está presente nos estabelecimentos comerciais de alimentos como um produto prático e de fácil aplicação, pois é utilizado em mesas, bancadas, equipamentos e utensílios.
    

 

QS 01, Rua 210 lote 18, Águas Claras - DF, CEP: 71950-770

+55 (61) 3563-1314 / (61) 3563-4776 / (61) 3562-2064

Facebook
Realizado por Amplitude Web.